fbpx

Inovação tecnológica e o metaverso: como as empresas devem se adaptar?

Toda empresa precisa de constantes atualizações para se manter no mercado, sobre o metaverso não é diferente, a empresa que souber como se adaptar terá grandes vantagens competitivas.

O conceito de metaverso representa a possibilidade de ter acesso a um tipo de realidade paralela em que o indivíduo experiencia uma imersão. O metaverso não é real, mas seu objetivo é transmitir a sensação de realidade, e para isso, toda sua estrutura se encontra no mundo real. Podemos definir metaverso como um espaço online compartilhado por usuários da tecnologia como realidade virtual e aumentada para interagir com outras pessoas e outros espaços.

Os primeiros passos rumo à criação do metaverso foram os videogames. A tendência é que isso se expanda até chegar a outras áreas da rotina. Para os gamers, essa ideia é assimilada normalmente. Jogos como Fortnite e Minecraft são exemplos de onde encontramos o metaverso. A ideia vem sendo introduzida no mercado desde 2003 com jogos que apresentaram realidades alternativas, isso mostra que não é tão nova assim, mas vem ganhando mais espaço desde 2021. 

Como as empresas devem se adaptar a mais essa inovação tecnológica?

Primeiramente é importante reforçarmos que as marcas precisam estar onde os consumidores estão, e por isso, estão sempre em constante evolução e modificação da sua estrutura. 

  1. Os óculos de realidade virtual, foram tentativas de expandir o acesso ao metaverso, algumas falharam pelo custo, que impossibilitou a adesão por parte do grande público. Com o passar dos anos, criaram-se comunidades dentro de jogos e posteriormente plataformas que tornaram possíveis a participação em eventos culturais e debates no espaço virtual. O crescimento das experiências online durante a pandemia popularizou ainda mais as interações pelo meio. 
  2. As grandes marcas visualizaram oportunidade e investiram no metaverso, agora, com o objetivo de participar de um contexto social, bem como acontece na vida real. O Boticário teve um espaço no Avakin Life, McDonald ‘s abriu no minecraft, Brahma criou uma loja no GTA.
  3. Outras grandes marcas já criam produtos para comercialização exclusiva em jogos que utilizam o metaverso como forma de promover suas ações publicitárias. O metaverso também abre portas para o turismo e torna possível conhecer inúmeros espaços e interagir com outras pessoas por meio de hologramas.

No entanto, podemos pensar em negócios um pouco menores em relação às marcas citadas anteriormente. Então, para a maioria das empresas, adaptar-se ao metaverso é mais simples do que ter um imóvel virtual ou vender usando moedas digitais. Trata-se de mais uma grande oportunidade de marketing e mídia para fazer parte dos métodos de comunicação do negócio.

O processo de adaptação começa com o mapeamento para entender mais sobre esse espaço, seus públicos e se o metaverso comporta o perfil da sua marca. É preciso entender o cliente, se adaptar às mudanças e seu posicionamento de mercado.

Depois disso, é indispensável traçar ações que impactem o público que faz parte do metaverso, do mesmo modo que ocorre quando temos uma nova rede social para ingressar.

Essa é a chave para utilizar o ambiente de realidade virtual como grande aliado da empresa, entender que é mais uma ferramenta tecnológica que permeia interações sociais. O ambiente virtual vai ser marcado pelo surgimento de novas formas para alavancar uma marca, à medida que o metaverso for evoluindo e ganhando mais usuários. 

Mais do que explorar o awareness e se divulgar, é uma oportunidade de ganhar espaço por meio do entretenimento e romper mais uma barreira física, se aliando ao que o mercado solicita e se posicionando próximo aos seus clientes. 

Se você quer entender melhor o que é metaverso, fique ligado neste post: 



Deixe uma resposta