fbpx

Resiliência, saiba como aplicar ela no seu dia a dia

🔊 👇🏼Clique no play e escute este artigo!

 

A resiliência é uma das competências cada vez mais exigida no mercado de trabalho. As empresas estão tornando seus processos de seleção de pessoas mais conscientes de que aspectos comportamentais e controle de emoções, muitas vezes, são mais importantes do que a própria capacidade técnica do indivíduo. Os profissionais resilientes tendem a ter mais dinamismo, agilidade, foco para resolução de problemas em conflitos cotidianos.

Mas afinal o que é Resiliência?

É a capacidade de retornar a forma original, após ter sofrido grandes impactos. Ou seja, passar por processos de mudanças, possuir a capacidade de adaptação e lidar com possíveis alterações que muitas vezes não são favoráveis, e mesmo assim, encontrar medidas ou soluções. Resiliência também é saber suportar as tensões, resistindo a pressão que esses impactos possam causar, superando os obstáculos e aceitando novos desafios.

Esse termo também é utilizado para explicar teorias na física, como por exemplo, o elástico quando ele estica e ao voltar ao seu estado inicial, permanece intacto.

Mas o que isso tem a ver com o meio corporativo?

Tudo, pois hoje a resiliência está cada vez mais presente dentro das organizações e principalmente nos processos seletivos.

A resiliência já é considerada como uma competência na maioria das empresas, afinal ter profissionais com essa habilidade, significa ter uma equipe bem qualificada, uma entrega mais assertiva e principalmente, talentos que sabem lidar com situações adversas, solucionar problemas com mais precisão sem que isso afete o clima organizacional ou outros profissionais.

Ser resiliente não significa que você terá que ser um profissional que não tem empatia por seus colegas ou funcionários, e que nunca vai se abalar por nenhuma situação, mas sim que você vai saber driblar essas dificuldades de uma forma mais racional, que não prejudique efetivamente o seu trabalho e o desempenho da equipe envolvida.

Um exemplo bem prático que podemos colocar é Walt Disney, que foi demitido de seu último emprego por não ter “imaginação e boas ideias”, e apesar da frustação ao ouvir isso ele não desistiu, foi a fundo, acreditou em seus sonhos, construiu seu parque temático, que hoje vale bilhões e é um dos maiores do mundo.

Mas como desenvolver a resiliência?

Aqui vão algumas dicas para você desenvolver sua resiliência:

  • Busque autoconhecimento: Conheça mais sobre você, entenda melhor seus medos, inseguranças e também aquilo que você faz de melhor. Busque desenvolver essa habilidade através de livros, vídeos, processo terapêutico com psicólogo, coaching, palestras, entre outros. Quando você sabe mais sobre si, fica mais fácil trabalhar a resiliência;
  • Desenvolva inteligência emocional: Saiba compreender e gerenciar seus próprios sentimentos, fazendo um filtro do que realmente é necessário você se preocupar e ocupar o seu tempo;
  • Foque no pensamento positivo: Quando você pratica o pensamento positivo, as atividades fluem de uma forma mais natural, isso faz com que você se sinta mais seguro e suas atividades comecem realmente a dar certo;
  • Tenha flexibilidade: Tenha flexibilidade com as diversas situações que possam surgir no seu dia a dia. Busque sempre entender os dois lados, analise com calma, não tenha o seu conhecimento ou experiência como uma verdade absoluta e, esteja sempre aberto a novos desafios;
  • Saiba dar e receber feedback: Saiba lidar com o feedback, aprenda a analisar quando não for o esperado, reveja os pontos positivos e negativos apontados, a fim de manter o que tem de melhor, e melhorar aspectos negativos. E se você é quem vai dar o feedback, aponte os pontos fortes e fracos, de forma que o receptor deste entenda que isso pode ser trabalhado para mudar, enfatize os pontos positivos e conduza esse momento com leveza e ao mesmo tempo firmeza.

Seguindo os passos acima, com certeza você será um profissional, mais competitivo e focado em resultados. Aplicando-se em qualquer posição que estiver na empresa seja como colaborador, gestão ou empresário.

O novo modelo de RH busca profissionais que possuam habilidades comportamentais além do conhecimento técnico. Que sejam auto gerenciáveis para realizar suas atividades e que saibam lidar com as possíveis dificuldades que possam surgir, sem que isso afete seu trabalho de forma negativa, trazendo possíveis danos e prejuízos à organização.

E lembre-se que quem alcançou o sucesso, um dia já fracassou. Como dizia Winston Churchill “sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”.



Autor: Larissa Azevedo
Graduanda em Gestão de Recursos Humanos, com ênfase em Recrutamento e Seleção, em constate busca por conhecimento ligados ao aperfeiçoamento profissional, rotinas de RH, financeiro e psicologia organizacional. Responsável pelo setor de RH e administrativo, realizo atividades pertinentes à esses setores e mensalmente escrevo para o blog GGV.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.